Innovación Ciudadana / Inovação Cidadã | Chamada a colaboradoras(es) para o #LABICMEX - Innovación Ciudadana / Inovação Cidadã

Chamada a colaboradoras(es) para o #LABICMEX

Posted in - Cidadania & Inovação Cidadã @pt-pt & laboratorio ciudadano & Participação @pt-pt en Mar 12, 2020 0 Comments

(Baixe as bases em pdf)

O projeto Inovação Cidadã da Secretaria-Geral Ibero-Americana (SEGIB), do Governo do Estado de Guanajuato, através da Secretaria da Inovação, Ciência e Educação Superior (SICES) e da Direção Geral de Cooperação Internacional e Desenvolvimento (DEVCO) da Comissão Europeia, abrem esta chamada para a inscrição de colaboradora(es) para o desenvolvimento dos projetos selecionados para o Laboratório de Inovação Cidadã – México (#LABICMEX), que se realizará do 16 ao 28 de junho de 2020 na cidade de Guanajuato, México.

O #LABICMEX contará com a colaboração da Agência Mexicana de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AMEXCID), da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), o Governo do Estado de Guanajuato através do Instituto de Guanajuato para as Pessoas com Deficiência, o DIF Estatal, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Humano, a Secretaria de Saúde, junto a Univeridade de Guanajuato, o Grupo Social Once, o CIATEC, a Escola Nacional de Estudos Superiores-UNAM, o Medialab Prado, o Njambre, UPIIG, e o Silo – arte e Latitude Rural.

 

Chamada internacional a colaboradoras(es) para o desenvolvimento de projetos no 7º Laboratório de Inovação Cidadã – Acessibilidade e autonomia de pessoas com deficiência – a ser realizado do 16 ao 28 de junho de 2020 na cidade de Guanajuato, México. O Laboratório busca novas propostas e soluções inovadoras para garantir os direitos básicos e melhorar a qualidade de vida das pessoas com qualquer tipo de deficiência. Os projetos serão desenvolvidos colaborativamente por equipes multidisciplinares e interculturais, em colaboração com comunidades e coletivos locais de pessoas com deficiência. Podem apresentar-se cidadãos de qualquer parte do mundo.

A inscrição é gratuita, e aberta até o 5 de abril de 2020.

Para tanto, abre-se esta convocatória a todas as pessoas interessadas em participar como colaboradoras em um dos 10 projetos que detalhamos a continuação:

 

1. ABC para autistas

Nome ABC para autistas
Autor Priscila Gadea Lorenz
Descrição O objetivo deste trabalho é projetar e desenvolver um jogo mobile de plataforma Android capaz de imergir alunos com autismo e necessidades especiais dentro de um ambiente de uma sala de aula com o intuito de prepará-los para o ambiente escolar e nele também realizar tarefas de raciocínio lógico e educacionais. Neste ambiente virtual a criança com autismo será encorajada a realizar diversas tarefas graduais de raciocínio e de desenvolvimento educacional, proporcionando uma interação controlada, se utilizando de técnicas de disposição dos objetos na cena para a eliminação de estímulos desorganizadores e redução das possibilidades de erros, auxiliando no entendimento das dinâmicas propostas.
A aplicação de tecnologias através de estímulos visuais traz ganhos significativos no desenvolvimento escolar e no seu reconhecimento como indivíduo. A realidade virtual, quando utilizada de forma articulada ao ensino, agrega valor na obtenção de resultados, já que crianças com TEA possuem peculiaridades comportamentais. 
Mais info aquí.
Perfil dos colaboradores
  • Disigner/a de ambientes: para orientar ajustes na cena da sala de aula.
  • Desenhador/a: com conhecimento em Concept Art para a criação dos personagens da professora e alunos.
  • Modelador/a 3D: para criação e edição da malha tridimensional.
  • Programador/a  C#: que possua conhecimentos em desenvolvimento Android no Unity 3d e realidade virtual com Google Cardboard.
  • Artista 3D: com conhecimento em criação e edição de texturas para jogos digitais 3D.
  • Engenheiro/a de software: com conhecimentos em gerenciamento de projetos
  • Terapeuta ocupacional: especializado/a em Autismo.
  • Especialista em autismo: com experiência em trabalhar com pessoas autistas
  • Comunicador/a: com experiência em produção audiovisual, fotografia e documentação de processos criativos.

2. Autapp

Nome Autapp
Autor Francisco Gianotti
Descrição
  O Autapp é uma ferramenta que permitirá que milhares de jovens com autismo se comuniquem com o seu ambiente. Não é simplesmente um produto ou aplicativo, é uma ferramenta que nos permitirá transmitir algo que incorporamos como a linguagem, dando oportunidades para aqueles que não foram capazes de fazer até agora.
Este projeto permitirá a incorporação de PECs que são “cartões” com palavras e imagens que descrevem objetos, ações e sentimentos. Através de sua seleção e agrupamento, se formam linhas do tempo, rotinas, bem como a comunicação de desejos e ações que o usuário deseja alcançar.
  Autapp is a tool that will allow thousands of young people with autism to be able to communicate with their environment. It is not simply a product or an app, it is a tool that will allow us to transmit something that we have as internalized as language, giving opportunities to those who have not been able to do so far.
This project will allow the incorporation of School-based Education Projects (PEC) that are “cards” with words and images that describe objects, actions and feelings. Through their selection and grouping, time lines and routines are formed, as well as communicating wishes and actions that the user wants to achieve.
Mais info aquí.
Perfil dos colaboradores
  • Programador front-end: para trabalhar principalmente no lado visível, no lado em que podemos ver todos os usuários de um site ou aplicativo da web. O oposto do que o desenvolvedor de back-end faz, que lida com o lado do servidor, que suporta o trabalho de front-end.
  • Programador de back-end: implementar a interação entre o usuário e o site. Ele usa linguagens de programação para desenvolver módulos de processamento que fornecem aos usuários conteúdo dinâmico com base em solicitações de entrada.
  • Terapeuta ocupacional especializada em TEA -TGD: para realizar um acompanhamento entre a comunidade TEA e a equipe Autapp. Com conhecimento de línguas e material terapêutico relacionado.
  • Comunicador: com experiência em produção audiovisual, para documentar o processo do projeto, os membros e os resultados.
  • Ilustrador: para o desenvolvimento do PEC e material visual característico do projeto.
  • Designer industrial: para apoiar o design das próprias ferramentas do projeto, tangíveis ou virtuais.
  • 2 Programadores: para apoiar questões de desenvolvimento, com amplo conhecimento de diferentes linguagens de programação.
  • Designer gráfico: para o desenvolvimento de identidade visual, material gráfico e infográfico.

3. Ajuda técnica para autonomia na retenção de objetos

Nome Ajuda técnica para autonomia na retenção de objetos
Autor Gonzalo Nanzer
Descrição As pessoas que atualmente, por qualquer motivo, são incapazes de segurar utensílios ou ferramentas, têm um alto grau de dependência de suas atividades diárias. Essa dependência ou falta de autonomia é prejudicial, não apenas porque dificulta a execução dessas tarefas, mas também implica um componente psicológico que afeta a auto-estima. Caso exista o membro superior, uma das ajudas técnicas mais utilizadas atualmente é o bolso palmar. Essa ferramenta não permite que a pessoa que a usa pegue e solte utensílios, nem permite o acesso a um grande número de atividades. A autonomia que ele fornece é limitada. Por outro lado, se o membro superior é inexistente, as soluções atuais não são muito funcionais ou com altos custos para a grande maioria dos que precisam do equipamento.

A ferramenta que apresentamos busca superar essas desvantagens, fornecendo um sistema simples, replicável, de baixo custo e parametrizável, projetado para fornecer autonomia na retenção e liberação de qualquer tipo de objeto e totalmente compatível com projetos complementares e com os quais acreditamos podemos gerar uma grande sinergia.

Durante o LABICMEX, trabalharemos em:
– Ampliar o número de atividades às quais a ferramenta permite acesso: avançar no desenvolvimento de acessórios voltados à higiene e higiene pessoal, entre outros.
– Parametrizar os projetos e gerar a documentação necessária para democratizar o acesso de qualquer pessoa à ferramenta.
– Trabalharemos na otimização de materiais e métodos de fabricação, para reduzir custos e aumentar a funcionalidade.

Os principais beneficiários do projeto serão: pessoas com lesão medular, amputados ou amputadas, idosos (com movimentos involuntários, força de preensão insuficiente etc.), pessoas com lesões cerebrais traumáticas com consequências no MMSS, pessoas que sofreram AVC, pessoas com hemiplegia etc.

Mais info aquí.

Perfil dos colaboradores
  • Designer gráfico ou designer
  • Designer: com experiência em parametrização: Grasshopper ou similar.
  • Especialista ou especialista em fabricação digital: principalmente impressão 3D.
  • Especialista em materiais para impressão 3D.
  • Comunicador: com experiência em produção audiovisual.
  • Terapeuta Ocupacional: com experiência em trabalhar com membros superiores (ou pessoas descritas como beneficiárias).
  • Pessoa com experiência na operação de máquinas de costura.
  • Kinesiologo ou fisioterpeuta: com experiência no trabalho da postura, especialmente das pessoas descritas como beneficiárias.
  • Pessoa com lesão medular / hemiplegia / CVA: interessada em desenvolvimento tecnológico e inovação.

4. Loop magnético de frequência de áudio para aparelhos auditivos

Nome Loop magnético de frequência de áudio para aparelhos auditivos
Autor Carlos Daigoro Fonce Segura
Descrição Como os aparelhos auditivos captam muito do som ambiente, causam desconforto a quem os utiliza. Isso resulta em uma forma de exclusão em espaços compartilhados de muitas pessoas que os usam.
Loops magnéticos são uma solução para esse problema, pois eliminam a amplificação de sons ambientais e permitem que a pessoa se concentre na mensagem transmitida.
a criação de loops magnéticos, conforme a recomendação da OMS, representa a oportunidade de melhorar a recepção de áudio e, portanto, a inclusão de pessoas em contextos coletivos.
No México, por exemplo, nenhum ambiente educacional público ou privado contempla a instalação de tal tecnologia, nem os trabalhos mais recentes, como salas de concerto, bem destaca a sua omissão no processo de transição para um sistema de justiça oral.
O objetivo é projetar um sistema de loop magnético para pessoas que usam aparelhos auditivos, disponíveis para replicação gratuita e que podem ser instalados em locais públicos.
Perfil dos colaboradores
  • Engenheiro eletrônico em telecomunicações.
  • Engenheiro de áudio.
  • Designer industrial.
  • Pessoa com deficiência auditiva, usuário de aparelho auditivo interessado num projeto de inovação.
  • Desenvolvedor de software.
  • Comunicador com experiência em produção audiovisual (para documentar o projeto).
  • Especialista em acessibilidade arquitetônica, com experiência na aplicação de loops magnéticos de frequência de áudio.
  • Profissional de saúde com especialidade em audiologia.
  • Especialista em aparelhos auditivos.

5. Internet para todos

Nome Internet para todos
Autor José Hernando Mosquera de la Cruz
Descrição O projeto desenvolverá um Assistente Virtual que permita que pessoas tetraplégicas naveguem na web sem ter contato físico com qualquer dispositivo de hardware, controlando o computador por meio do movimento da cabeça (para movimento do cursor) e comandos de voz usando uma webcam e um microfone.
A hipótese de trabalho é fornecer a cobertura para alguns dos aplicativos mais usados atualmente, como Facebook, Gmail, WhatsApp e Google Chrome. No laboratório, será realizado um brainstorming para definir os aplicativos a serem cobertos, interfaces do usuário, experiência do usuário, modelos cognitivos, protocolos de teste e implementação de algoritmos de inteligência artificial.
Este projeto melhora a qualidade de vida das pessoas com deficiência, pois lhes dará autonomia e independência para navegar na web, permitindo que eles se comuniquem com seus entes queridos, realizem pesquisas, trabalho, entretenimento, escrevam e leiam e-mails sem usar o mouse e o teclado.
Mais info aquí.
Perfil dos colaboradores
  • Programador de Inteligência Artificial: implementação de algoritmos para integrar os blocos de processamento de áudio, vídeo e sistema operacional, implemente algoritmos para mesclar sinais de áudio e vídeo usando algoritmos de inteligência artificial.
  • Programador / Automação do Sistema Operacional: complementa os algoritmos de automação das janelas do sistema operacional por meio de falsas interrupções que simulam o movimento do cursor do mouse e pressionam as teclas.
  • Programador de visão computacional: implemente algoritmos de visão computacional, capture imagens de uma webcam, reconhecimento de rosto por modelos simples de detecção de rosto e máscara 3D.
  • Programador de Áudio: Responsável pela implementação dos algoritmos de reconhecimento e síntese de voz independentes do locutor, comandos e ditados isolados, extração semântica de idéias sobre o texto reconhecido.
  • Designer Gráfico: Responsável por projetar e implementar a interface gráfica do software a ser implementado, planos de navegação de software, logotipo, design de ícones, fontes, distribuição gráfica da interface e experiência do usuário (UX).
  • Terapeuta ocupacional ou fisioterapeuta: com experiência em trabalhar com pessoas tetraplégicas.
  • Comunicador com experiência em produção audiovisual.
  • Psicólogo ou assistente social: projetar o protocolo de teste para avaliar o desempenho quantitativo e qualitativo do software implementado, o conteúdo do consentimento informado, as pesquisas e a escolha das métricas.
  • Psicólogo ou antropólogo: projetar um modelo cognitivo de interação homem-computador com base no escopo e nas limitações das pessoas tetraplégicas; esse modelo será implementado por engenheiros em algoritmos de inteligência artificial.

6. Livro Expandido

Nome Livro Expandido
Autor Daniel Escobar Vazquez
Descrição Esta proposta busca a criação de um dispositivo de leitura baseado na expansão do formato tradicional de livros, com base no uso de tecnologias eletrônicas e digitais, destinado a pessoas com deficiência visual e também para o público em geral. Esse dispositivo deve facilitar a percepção multimídia e multissensorial de uma narração, através de superfícies táteis e sensíveis ao toque da pele, que quando ativadas geram a reprodução de sons, imagens e luzes, que expandem a escrita tradicional e em formato Braille. Para a redação e ilustração da narração do protótipo do Livro Expandido, e como forma de estabelecer um diálogo com a história da cidade de Guanajuato, propõe-se o tema mineração. Assim, o livro se tornará numa interface de um espaço tátil e sonoro em direção a um universo narrativo, lúdico e histórico, com grande potencial educacional e de inclusão.

Mais info aquí

Perfil dos colaboradores
  • Especialista em educação para pessoas com deficiência visual e conhecimento da escritura em Braille.
  • Escritor com experiência no trabalho de pessoas com deficiência visual.
  • Desenvolvedor eletrônico.
  • Desenvolvedor de software.
  • Desenhador gráfico.
  • Illustrator.
  • Designer industrial.
  • Especialista em costuras e tecidos.
  • Comunicador ou produtor audiovisual de gravação, documentação audiovisual e criação de sons.

7. Maternidade inclusiva

Nome Maternidade inclusiva
Autor Jimena Luna Benavides
Descrição O objetivo é compartilhar conhecimentos e ferramentas entre pais com deficiência, nos estágios da gravidez e criação. Para isso, um aplicativo móvel e web será desenvolvido para divulgar informações sobre estratégias nessas etapas, com documentação técnica e criando um espaço colaborativo construindo informações a partir das experiências e práticas de pessoas com deficiência.
O projeto é necessário devido à pouca informação disponível em espanhol sobre estratégias e boas práticas relacionadas à experiência de gravidez e parentalidade de pessoas com deficiência.
Durante o laboratório, focalizaremos no caso de pessoas com deficiências motoras e, depois do laboratório, poderemos incluir outros tipos de deficiências.Mais info aquí
Perfil dos colaboradores
  • 2 Programadores: com experiência e conhecimento em programação de sites e aplicativos accesíveis.
  • Designer gráfico: com experiência em design para aplicações móveis.
  • Área profissional de gravidez de carreiras como Obstetrícia ou Ginecologia, cujo campo de experiência profissional é o acompanhamento da gravidez.
  • Área de formação profissional de carreiras como Obstetrícia ou Enfermagem, com especialidade em Puericultura.
  • Psicólogo ou sociólogo: especialista em deficiência e com perspectiva de gênero.
  • Especialista em maternidade para pessoas com deficiência.
  • Especialista em documentação: com experiência ou conhecimento em gerência de processos.
  • Comunicador: com experiência em produção audiovisual para documentação de projetos.

8. Rampa Inova

Nome Rampa Inova
Autor Genny Yohan Chavarría López
Descrição Gerar um protótipo de uma rampa dobrável, ultraleve, fácil de instalar e transferir, que permita acessibilidade em ambientes naturais, para atividades de lazer fora do ambiente urbano e para ambientes urbanos em que instituições públicas não cumpriram a adaptação de Acessibilidade para cadeiras de rodas, como é seu direito.

Com o objetivo de promover igualdade de oportunidades e autonomia para as pessoas com deficiência, este projeto busca tornar acessíveis esses ambientes adversos à mobilidade de cadeiras de rodas, gerando maior autonomia.

Espera-se que a rampa tenha alto desempenho em termos de uso, versatilidade e resistência. Devido ao seu design, ele pode ser armazenado (dobrado) em momentos em que seu uso não é necessário. Será feito um trabalho para torná-lo altamente replicável, barato e durável.

Mais info aquí.

Perfil dos colaboradores
  • Designer industrial.
  • Designer: com conhecimento em manufatura digital (impressão 3D, modelagem CAD).
  • Designer gráfico: com experiência na comunicação de projetos sociais e no trabalho com a comunidade, metodologias baseadas em seres humanos.
  • Terapeuta ocupacional ou fisiatra: com experiência em trabalhar com pessoas em cadeira de rodas.
  • Engenheiro mecânico ou eletromecânico: manejo dos fundamentos do mecanismo e seleção de materiais de acordo com suas propriedades mecânicas. Conhecimento de acessórios mecânicos.
  • Engenheiro Civil, Arquiteto ou Especialista em construção e condicionamento espacial.
  • Sociólogo ou Antropólogo: com experiência em trabalhar com pessoas com deficiência motora.
  • Especialista em técnicas de Papiroflexia e Origami (dobragem de papel japonesa e técnica de dobragem).
  • Comunicador: com experiência em produção audiovisual.

9. Revista digital para crianças surdas

Nome Revista digital para crianças surdas
Autor Elena Guadalupe Laureano Martinez
Descrição O projeto pretende ser o primeiro produto literário bicultural e bilíngue voltado para a comunidade surda e interessados em ensinar crianças surdas. A revista será digital, aberta e gratuita, implementando ferramentas para atualização da metodologia de ensino, além de fornecer as estratégias necessárias para a criança adquirir habilidades em questões de socialização, aquisição de aprendizagem e consolidação da identidade.
As crianças surdas terão acesso aos meios de comunicação de massa na sua língua materna, o LSM (Língua Gestual Mexicana), aproximando-os de situações sentimentais, escolares e de convivência para entender o ambiente em que se desenvolvem. Além do LSM, a revista digital incluirá mídias alternativas (por exemplo, audiovisual).
Esta revista terá a participação ativa da comunidade surda na sua produção.
Perfil dos colaboradores
  • Pedagogo: adaptação de conteúdo lúdico, com experiência na inovação educacional, de modo a favorecer a participação do menor no processo de aprendizagem com técnicas de motivação contínua.
  • Psicólogo infantil: com experiencia com crianças com deficiencia auditiva.
  • Antropólogo: em contato ativo com a cultura dos surdos, que possui um conhecimento básico do LSM e reconhece as suas funções gramaticais e linguísticas.
  • Designer gráfico especializado em multimídia
  • Web designer
  • Comunicador social com especialização em deficiência (preferencialmente audição)
  • Programador(a) web, especializados na acessibilidade na web
  • Especialista em linguagem de sinais mexicano e/ou  universal.
  • Comunicador(a) com experiência em produção audiovisual.

10. Cadeira Microcontrolada

Nome Cadeira Microcontrolada
Autor Valeria Medrano Lopez
Descrição O objetivo geral do projeto é implementar, numa cadeira de rodas, um dispositivo capaz de controlar motores sem fio por médio dum joystick, usando circuitos integrados programáveis que se comunicam usando o protocolo Bluetooth. Isso ajudará aos assistentes paraplégicos a realizar as atividades de transferência de maneira mais simples, pois não há fios necessários e o assistente não precisa estar conectado à cadeira. Além disso, os materiais para fabricar o sistema de acionamento da cadeira para este projeto são baratos, o que tornará a cadeira mais econômica e, por sua vez, acessível à população. Este projeto é pioneiro de vários projetos que estão previstos para ser desenvolvidos, pois, para trabalhos futuros, propõe-se criar uma cadeira completamente independente que trabalhe com redes neurais treinadas para seguir um caminho previamente traçado e, portanto, a pessoa será independente do assistente ou parentes.

Mais info aquí

Perfil dos colaboradores
  • Engenheiro/a Eletrônico.
  • Programador/a.
  • Especialista no desenho de placas eletrônicas.
  • Especialista em motores elétricos.
  • Terapeuta ocupacional com experiência em trabalhar com paraplégicos.
  • Designer industrial.
  • Especialista em soldagem.
  • Comunicador/a com experiência em produção audiovisual.
  • Especialista em circuitos eletrônicos.

Acesse as BASES da chamada se inscreva no #LABICMEX !

1. INTRODUÇÃO

Mediante metodologias colaborativas, se desenvolverão 10 projetos em equipes de trabalho integrados pela(os) promotora(es) dos projetos, um grupo de 90 colaboradoras(es) (9 por projeto), e o apoio contínuo de mentoras(es), especialistas técnicos(as) e mediadoras(es) locais. Também será desenvolvido um trabalho de coprodução com
comunidades locais.

1.1. Inscrições e publicação dos resultados

Todas as pessoas interessadas em participar no #LABICMEX deverão preencher e enviar o
formulário disponível abaixo. A inscrição é gratuita.

Abertura da chamada: 13 de março de 2020

Encerramento da chamada: 5 de abril de 2020

Publicação dos resultados: 13 de abril de 2020

Os resultados serão publicados na página web da Inovação Cidadã.

1.2. Inovação cidadã

Entendemos a Inovação Cidadã como um processo que experimenta a resolução de problemas sociais com tecnologias e metodologias abertas (digitais, sociais, ancestrais) que promovam práticas inovadoras com a participação da própria comunidade afetada. Esta definição supõe que os(as) cidadãos e cidadãs deixam de ser receptores passivos de ações institucionais para se tornarem protagonistas e produtores de suas próprias alternativas, a través de um processo de empoderamento que resulta muito mais democrático (soluções
de baixo para cima), muito mais resiliente pelo ato de aprender/fazendo e acertar/errar; e principalmente, muito mais ágil e eficaz, porque conta com o conhecimento das próprias comunidades.

1.3. ¿O que é um LABIC?[1]

Os Laboratórios de Inovação Cidadã (LABIC) são espaços criados para experimentar, sistematizar e acelerar as inovações espontâneas que surgem dos(as) cidadãos e cidadãs que transformam realidades e que têm potencial de serem replicadas em outros lugares.
Em um LABIC congregam-se, durante um mínimo de 12 dias, equipes multidisciplinares de cidadãs e cidadãos de diferentes procedências, fazendo do Laboratório um espaço de produção de projetos desenvolvidos colaborativamente da cidadania para a cidadania, gerando um espaço de convivência intercultural.

Esta será a sétima edição de um LABIC; os anteriores foram em Veracruz, México, em 2014; Rio de Janeiro, Brasil, em 2015; Cartagena, Colômbia, em 2016; Pasto, Colômbia, em 2018; Rosário, Argentina, em 2018 e em San José, Costa Rica, em 2019. Em cada edição, o LABIC se adapta às características de cada contexto onde trabalha e à temática central de cada laboratório.

 1.4. As pessoas num LABIC

Imagem 1. Um promotor mais 9 colaboradores, 3 mentores, 2 especialistas técnicos, e 3 mediadores locais.

 

1.5. O LABIC E OS ODS

Atualmente, o LABIC se prontifica a contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) vinculados à acessibilidade e à autonomia das pessoas com deficiências com uma perspectiva cidadã.

O que são os ODS? Em 25 de setembro de 2015, 193 países adotaram um conjunto de 17 objetivos globais para erradicar a pobreza, proteger o planeta e assegurar a prosperidade para todos(as) como parte de uma nova agenda de desenvolvimento sustentável a serem alcançados nos próximos 15 anos. O interessante é que não só as instituições ou governos podem contribuir para os ODS, mas também os(as) cidadãos e cidadãs e suas ideias. Por isso, para este Laboratório de Inovação Cidadã, selecionamos 8 ODS que servirão para os projetos que irão gerar propostas concretas:

Imagem 2. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável números 3, 4, 5, 8, 10, 11, 16 y 17.

[1] Os LABIC, originalmente, seguem o formato de uma oficina de produção desenvolvido pelo Medialab-Prado, ao qual, ao longo de suas 6 edições, foram realizadas adaptações e incorporadas inovações para a elaboração de um modelo mais ajustado ao trabalho com comunidades que enfrentam desafios reais.

2. BASES DA CHAMADA

2.1. Objeto da chamada

O objeto desta convocatória é a seleção de um máximo de 90 pessoas para desenvolver, de forma colaborativa, os 10 projetos de inovação cidadã previamente selecionados em convocatória aberta.

Esta chamada está dirigida a qualquer pessoa interessada nos projetos selecionados, independente do seu grau de formação, especialização ou experiência. Por exemplo, engenheiros(as), fisioterapeutas, médicos(as), enfermeiros(as), sociólogos(as), arquitetos(as), artistas, urbanistas, educadores(as), programadores(as), psicólogos(as), jornalistas, informáticos(as), desenhadores(as) gráficos(as), gestores(as) culturais, portadores(as) de tradições culturais ancestrais, líderes comunitários(as), ou qualquer outra pessoa interessada. Convocamos, especialmente, coletivos de jovens, afro-descendentes, indígenas, mulheres, membros de comunidades rurais e pesqueiras, pessoas com deficiência, setores sociais LGBT, entre outros, se apresentem a esta chamada.

2.2. O papel das/os colaboradoras/es

O papel de um colaborador no laboratório é contribuir para o desenvolvimento do projeto com base em seus conhecimentos e experiências. Este trabalhará junto a outros 8 colaboradora(es) e o(a) promotor(a) do projeto durante o laboratório para alcançar o melhor resultado possível.

É uma experiência muito enriquecedora para os participantes, pois têm a oportunidade de, não apenas desenvolver um projeto único e inovador, mas também trabalhar e aprender com pessoas de vários países, culturas e comunidades, bem como entrar em contato direto com diferentes realidades.

Uma vez terminados os projetos, os nomes do(as) colaboradora(es) aparecerão nos créditos, do mesmo modo que o nome do(a) promotor(a) do projeto. Ainda assim, a Secretaria Geral Ibero-americana emitirá um documento certificando a participação no laboratório a todos os participantes que assim o solicitarem.

2.3. Aspectos gerais do laboratório

Durante os dias de realização do #LABICMEX, as equipes trabalharão no desenvolvimento de cada iniciativa. Apesar de que o Laboratório terá horários específicos, cada grupo deve gestir o seu calendário de trabalho, prioridades, operações internas e recursos materiais.

Todo este trabalho será realizado de uma maneira horizontal e colaborativa. Caso os integrantes de uma equipe precisem conexões com alguma comunidade local, a organização do Laboratório poderá apoiá-los com esse contato. Em alguns projetos, o trabalho em conjunto com coletivos, associações, organizações ou qualquer tipo de comunidade local será fundamental para que os participantes possam entrar em contato com situações reais e com os beneficiários do projeto.

As jornadas de trabalho serão de manhã e de tarde, adaptadas às necessidades particulares de cada projeto e em conciliação com as atividades e os horários do centro onde o laboratório será realizado. O idioma utilizado será o espanhol, sem tradução simultânea.

Paralelamente, durante o #LABICMEX, diversas atividades como diálogos, apresentações, e oficinas específicas serão programadas e abertas aos participantes e à população local.

Os dias de trabalho do #LABICMEX serão distribuídos da seguinte forma:

Imagem 3. Cronograma de trabalho do laboratório. O dia 16 será a noite de boas-vindas, o dia 17 será asessão de abertura, o dia 18 será a primeira sessão analítica com os(as) mentores(as), o dia 20 à noite será aPetxa Kutxa, o dia 21 será de descanso, o dia 22 será a segunda sessão analítica com os(as) mentores(as), o dia 26 será o ensaio da apresentação pública, o dia 27 será a apresentação pública e o dia 28 será o regresso dos(as) participantes.

Além disso, antes do início do Laboratório, a organização colocará todos(as) os(as) participantes de cada grupo em contato para que eles(elas) possam planejar, trocar materiais e avançar qualquer trabalho anterior que necessite ser desenvolvido.

2.4. Alojamento, viagens e alimentação

Do dia 16 ao 28 de junho inclusive, a organização cobrirá a hospedagem (quartos compartilhados até um máximo de 3 pessoas) com alimentação completa para os não residentes na cidade de Guanajuato.

Por sua parte, os gastos de viagem (deslocamentos a Guanajuato, e regresso ao país/cidade de origem) não estarão cobertos. A organização cobrirá o transporte, em diferentes horários, desde o aeroporto de Guanajuato (El Bajío) até o hotel em Guanajuato no dia 16 de junho assim como desde Guanajuato até o aeroporto no dia 28 de junho. 

O financiamento da viagem e regresso a origem deverá correr por conta do próprio colaborador ou de alguma entidade pública ou privada que aceite financiar seu translado (neste caso, a organização pode entregar ao colaborador uma carta certificando sua participação no LABICMEX e apoiando sua solicitação de financiamento para a passagem). No caso de que uma instituição aceite pagar o translado do colaborador, a organização permitirá a inclusão do logótipo dessa entidade como colaboradora nos documentos (escritos e audiovisuais), assim como nas peças gráficas do evento.

No caso de ser necessários, os transportes diários coletivos desde o hotel até o lugar de desenvolvimento do Laboratório, e vice-versa, assim como os traslados a comunidades locais que participem no desenvolvimento do projeto correrão por conta dos organizadores do evento e serão estabelecidos pelos mesmos.

As pessoas selecionadas residentes fora do México deverão contratar, por conta própria, um seguro médico de viagem. Além disso, deverão se informar sobre os requisitos para obter o visto para o México, de acordo com as suas nacionalidades (consulte aqui).

3. RESOLUÇÃO

3.1. Comitê de seleção

O comitê de seleção estará composto pelo projeto Inovação Cidadã da SEGIB, com o apoio das/os mentoras(es) e o(as) promotore(as) dos projetos.

3.2. Critérios de seleção dos colaboradores

Para a seleção dos colaboradores, a comissão terá em consideração:

– Adequação do seu perfil aos perfis requeridos para os projetos

– Grau de motivação;

– Disponibilidade;

– Será levada em conta a diversidade étnica, de procedências, e equilíbrio de gênero.

– Além disso, em cada grupo haverá um/a colaborador/a que se encarregará principalmente de documentar os processos e dinâmica de trabalho e seus resultados, assim como de comunicá-las externamente mediante alguma plataforma digital, redes sociais, etc.,

3.3. Divulgação e continuidade dos projetos

Os trabalhos desenvolvidos serão apresentados publicamente por cada equipe na jornada final do laboratório.

A documentação dos projetos será publicada nos sites dos organizadores para compartilhar o conhecimento gerado.

Com posteridade ao Laboratório, a organização estudará a viabilidade de amadurecimento e escala dos projetos.

3.4. Obrigações dos selecionados

  • As pessoas selecionadas se comprometem a participar diariamente do Laboratório do dia 16 ao 28 de junho de 2020
  • As equipes se comprometem a publicar a documentação do projeto para permitir a sua replicabilidade. 
  • As pessoas selecionadas poderão fazer uso dos materiais previamente solicitados e concedidos. Qualquer gasto não previsto ou não aprovado em material ou aluguel de equipamentos deverá ser pago pelos(as) autores(as) do projeto. 
  • Os projetos realizados deverão estar sob licenças livres que reconheçam o autor e sugerimos que a cláusula “compartilhar igual” seja utilizada (na licença de Creative Commons seria BY-SA). Sempre que os projetos sejam apresentados em festivais e/ou exposições e sempre que se reproduzam suas imagens em catálogos e/ou páginas web, a sua relação com o Laboratório de Inovação Cidadã – México (LABICMEX) deverá ser mencionada. Adicionalmente, os nomes das pessoas que colaboraram no desenvolvimento de cada projeto devem ser sempre mencionados.

3.5. Limitação de Responsabilidade

A organização não é responsável pelos dados ou os conteúdos que os participantes possam utilizar. Assim como também não é responsável pelos direitos de autor ou aqueles direitos que correspondam a terceiros conforme as leis respectivas de cada país.

O #LABICMEX é um evento intenso de vários dias, razão pela qual apelamos à responsabilidade de cada participante durante todo este período. A organização não se responsabilizará por furtos ou extravios de objetos pessoais nem por danos físicos aos participantes. 

O #LABICMEX não realizará remuneração econômica aos seus participantes, entendendo que este será um espaço de colaboração e contribuição de cada um para o bem comum. 

 3.6. Interpretação e modificação aos termos desta convocatória

A Organização poderão realizar os esclarecimentos, modificações e interpretações que considerem pertinentes.

Todas aquelas circunstâncias não previstas na presente chamada serão resolvidas pela Organização. As decisões, qualificação e resultado são inapeláveis.

3.7.Código ético e de convivência do LABIC

  1.   O nosso foco é a colaboração, não a competição.
  2. As ideias têm valor em si mesmas, independente de quem as propõe. Não promovemos gurus, e sim o bem comum. 
  3.  Defendemos o direito à informação, ao conhecimento e à participação. O diálogo e o livre intercâmbio guiam as nossas atividades. 
  4. No LABIC estimulamos licenças livres e repositórios abertos como forma de transparentar e difundir o conhecimento.
  5. Não são aceitas expressões de ódio ou intolerância em temas de gênero, raça, etnia, grau de deficiência, posição social, orientação sexual, religiosa, ou de procedência.

 

 

4. PERGUNTAS FREQUENTES

 

Quem pode participar como colaborador no laboratório?

Qualquer pessoa maior de 18 anos que deseje trabalhar em grupo, aportando seus conhecimentos e ideias no desenvolvimento de alguma das propostas selecionadas e que, ao mesmo tempo, que aprenda dos demais do grupo, dos mentores do laboratório e das comunidades locais.

 

O que oferece este laboratório às pessoas que participam como colaboradores?

Um entorno excecional e multicultural para o aprendizado colaborativo, onde a cidadania tem um espaço para contribuir à construção de sociedades mais inclusivas e sustentáveis. Os nomes da(os) colaboradora(es) serão incluídos nos créditos do projeto desenvolvido. Igualmente, o projeto de Inovação Cidadã da SEGIB entregará um documento comprobatório de participação no laboratório àqueles colaboradores que o solicitarem. A equipe também contará com a possibilidade de fazer uma apresentação pública dos trabalhos durante o laboratório e a/o colaborador/a disporá de novas redes de relações pessoais e profissionais.

Ao que me comprometo se me inscrevo como colaborador?

A/os colaboradora/es selecionada/os se comprometem a desenvolver aquelas partes do projeto que se hajam acordado, e que se correspondam com seu perfil e interesses. Assim mesmo, os colaboradores terão o compromisso de assistir ao laboratório diariamente.

 

Quais gastos correm por conta dos organizadores?

A organização fornecerá alojamento, café da manhã, almoço, jantar, e transportes locais às comunidades (coordenados pelo laboratório). A organização não se ocupará dos gastos de passagens desde outras cidades e países, somente o traslado aeroporto de Guanajuato (el Bajío) – hotel no dia da chegada (16 de junho) e o traslado hotel – aeroporto no dia do regresso (28 de junho). 


Uma instituição, empresa ou entidade pode financiar minha viagem para o Laboratório?

Sim. Inclusive a organização pode fornecer uma certificação de participação no LABIC, se exigido pela entidade correspondente. Se permitirá a inclusão do logotipo desta entidade na documentação e peças gráficas do evento.

Onde posso encontrar informação sobre os projetos nos quais pode-se colaborar?

No resumo de projetos selecionados que aparece nas bases da chamada e na web de inovação cidadã .

 

Quando se formam os grupos de trabalho?

Os grupos de trabalho serão conformados quando se publiquem a/os colaboradora/es selecionada/os. A organização, a partir deste momento, coloca a toda/os integrantes em contato para que possam começar a coordenar reuniões online e trocar materiais de cara o Laboratório. 

 

Qual é o horário do laboratório?

Trata-se de um laboratório intensivo de produção onde os grupos combinarão os horários segundo suas necessidades e disponibilidade. Não obstante, o trabalho é intenso e costuma-se trabalhar durante a jornada completa. Haverá também atividades programadas e outras improvisadas como apresentações, mini-oficinas, debates, e festas. As atividades começarão no dia 16 de junho às 19hs, y finalizarão no dia 27 de junho à noite. Os participantes empreendem seu regresso no dia 28 de junho.

 

Posso escolher o projeto no qual quero colaborar?

Sim, você é quem escolhe o projeto que quer formar parte. 

 

Posso colaborar em vários projetos simultaneamente?

Sim, sempre que a sua disponibilidade temporal e as necessidades dos diferentes projetos o permitam. Ainda assim, recomendamos que se concentre em um só projeto. Duas semanas passam voando!

 

Posso participar se não tenho disponibilidade para estar presente nas duas semanas de laboratório?

Se recomenda a maior dedicação possível durante as duas semanas, já que se trata de um laboratório intensivo. Recordamos também que a disponibilidade é um critério para a seleção dos participantes. 

 

A participação na presente chamada representa a aceitação de todas as suas bases e conteúdos.

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

 

 

mais info: labicmex@innovacionciudadana.org

email

This post is also available in: EN ES

Please leave a Comment

Blue Captcha Image
Refresh

*

Uso de cookies

Utilizamos cookies propias y de terceros para realizar análisis de uso y medición de nuestra web para poder mejorar nuestros servicios. Si continua navegando, consideramos que acepta su uso. Puede cambiar la configuración u obtener más información aquí.

ACEPTAR
Aviso de cookies